Desastre ambiental causado pela British Petroleum.

Depois de um mês de vazamento, British Petroleum começa a selar poço.

 

Pelicanos ficam cobertos de óleo que vazou em poço de petróleo no Golfo do México (Foto: AFP).

   O poço que provocou o vazamento de petróleo no Golfo do México começa a ser fechado nesta quarta-feira (26/05/2010). O governo norte-americano deu luz verde para que a petroleira britânica British Petroleum inicie a operação que tentará conter o vazamento. A almirante da Guarda Costeira americana Mary Landry informou que será realizado um procedimento que utilizará a técnica denominada ‘top kill’ (‘matar por cima’). Esta técnica consiste em usar robôs submarinos para injetar fluidos pesados no poço, a 1,6 km de profundidade, e então derramar cimento na abertura. A manobra é complexa e nunca foi tentada a essa profundidade.

    A autorização para o procedimento foi dado após funcionários do governo americano terem aprovado o início da arriscada operação em águas profundas. Testes foram realizados por cientistas para determinar se não haveria o risco de uma tentativa fracassada piorar o vazamento. Ainda não se sabe quanto tempo será necessário para fechar o poço. A chance de sucesso, estima a companhia, é de 60% a 70%. […] E a Guarda costeira americana, verificou-se que o vazamento diário chegava a 5.000 barris de petróleo.

    Para tentar evitar uma tragédia ambiental de proporções inestimáveis, equipes de emergência iniciaram a queima controlada da gigantesca mancha, logo após o início do vazamento. Além disso, submarinos robotizados tentaram, sem sucesso, conter o vazamento. O temor era que o óleo chegasse à costa da Louisiana, o que de fato acabou acontecendo.

    A situação ficou ainda mais preocupante quando, após 15 dias do início do vazamento, a BP reconheceu que não conseguiu sucesso na instalação de uma "tampa" no poço de petróleo por causa da cristalização de água e gás no encanamento que transportaria o óleo para um navio na superfície. Mais de 1.000 pessoas em 76 embarcações tentavam conter o vazamento.

    O fato é que o vazamento já se tornou o pior da história dos Estados Unidos. Os ecologistas estão alarmados com os efeitos do petróleo sobre o ecossistema, e também com os dos produtos químicos dispersantes espalhados para impedir o óleo de atingir a terra. Esses produtos deixam o petróleo mais difícil de ser recuperado. Além disso, a utilização dessas substâncias nas profundezas, e não na superfície, é inédita e poderá ser nociva para algumas espécies marinhas.

 

  Cronologia do desastre

20/4 – Explosão da plataforma Deepwater Horizon, operada pela BP British Petroleum no Golfo do México. Ela estava localizada a 240 quilômetros a sudeste de Nova Orleans (Estados Unidos). O acidente matou 11 trabalhadores.

22/4 – Plataforma afunda e começa o vazamento de petróleo na região. Primeiras observações indicam que 1.000 barris de petróleo vazavam por dia.

27/4 – Fracassa as tentativas de fechar dois focos de vazamento no oleoduto ligado à plataforma. O procedimento era realizado por quatro submarinos robotizados a 1.500 metros de profundidade.

29/4 – Estimativa de vazamento sobe de 1 mil para 5 mil barris por dia. Governo americano oferece apoio militar para controlar vazamento.

1/5 – Governador da Flórida, Charlie Crist, decreta estado de emergência na região – condados de Escambia, Santa Rosa, Okaloosa, Walton, Bay e Gulf. Mancha chega à costa da Louisiana, que também declara estado de emergência.

2/5 – O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, visita a zona de desastre no Golfo do México.

3/5 – A companhia de petróleo britânica BP British Petroleum afirma que pagará "todos os custos necessários e apropriados de limpeza" da mancha negra.

10/5 – A BP reconhece que não teve sucesso na instalação de uma "tampa" no poço de petróleo por causa da cristalização de água e gás no encanamento que transportaria o óleo para um navio na superfície. O vazamento pode se tornar o pior da história dos Estados Unidos.

11/5 – Técnica que usa cabelos é usada para limpar mancha de petróleo no Golfo. Os fios são colocados dentro de meias de náilon, para ajudar a absorver o óleo espesso que se aproxima das praias. Além de uma ONG americana, países como Brasil, França, Inglaterra, Espanha, Austrália e Canadá também fazem doações de fios de cabelo.

16/5 – O grupo petroleiro BP British Petroleum conseguiu, pela primeira vez depois do início do vazamento, começar a bombear o petróleo que sai de um poço do Golfo do México, graças a um tubo conectado a um navio na superfície.

 26/5 – O poço que provocou o vazamento de petróleo no Golfo do México começa a ser fechado.

 

Fonte: Veja.com 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s